Você já conhece os tipos de carreira em W, T e Y?

Auxiliar, Assistente, Analista, Coordenador/a, Gerente, Diretor/a. Essa era a trilha tradicional, e linear, que os/as profissionais seguiam dentro da hierarquia das empresas até alguns anos atrás, uma trajetória que mostra um crescimento vertical em diferentes tipos de carreira.

As transformações mercadológicas e a exigência de que os/as profissionais sejam versáteis, dinâmicos/as e flexíveis, buscando se diferenciar e procurar diversas áreas de conhecimento, acarretaram uma mudança no plano de carreira, dando espaço a outros modelos mais assertivos. 

Neste artigo, vamos falar sobre alguns tipos de carreira, conceitos que são conhecidos como modelos em W, T ou Y. 

Nossa intenção é fazer uma reflexão sobre outros pontos importantes a respeito do desenvolvimento de carreira e mostrar como a sua carreira pode deslanchar através do autoconhecimento — e como você pode se identificar nesses conceitos. 

Vamos trilhar juntos/as esse raciocínio em busca de um conhecimento mais profundo e que vai te ajudar a direcionar a sua vida profissional em startups, empresas do mercado digital e outros segmentos de negócios!

Por que investir no desenvolvimento da carreira? 

Desenvolvimento contínuo. Essa é uma palavra muito importante para as pessoas que querem evoluir na vida profissional e ter uma carreira promissora.

Des-envolver: desconstruindo a palavra é possível perceber que existem duas etapas nessa tarefa - se envolver e, em seguida, des (envolver). Só é possível crescer em algo através de muito envolvimento, o des-envolvimento depende disso, de dedicação.

Em todos os tipos de carreira será necessário investimento para ter envolvimento. 

Investir significa dedicar horas de trabalho para se aperfeiçoar, fazer cursos específicos na área que você atua, obter soft skills e hard skills que são valorizadas pelo mercado de trabalho, suar a camisa e pegar pesado para se tornar um/a profissional valorizado/a.

Por que investir tempo, dinheiro e envolvimento em tudo isso? 

Em geral, as pessoas que querem ter um desenvolvimento em todos os tipos de carreira fazem essa escolha porque são apaixonadas pelo que fazem, são vidradas no digital, na tecnologia e não conseguem trabalhar com outra coisa.

E nesta etapa de desenvolvimento dos tipos de carreira, vários atributos vão sendo descobertos em cada um/a de nós, como criatividade, agilidade, capacidade de elaborar soluções com poucos recursos, ter uma visão global dos negócios e muito mais.

Porém, os conceitos de tipos de carreira que existem atualmente, classificadas como T, Y e W, vão depender do seu perfil, algo que você pode descobrir melhor com autoconhecimento.

Agora, é hora de olhar para dentro de si mesmo/a e perguntar: para onde quero que minha carreira aponte? Quais são meus sonhos e objetivos?

A importância do autoconhecimento para entender os tipos de carreira

Você pretende ter uma carreira em uma empresa tradicional, entrar como estagiário/a e se tornar um/a profissional sênior respeitado/a depois de 30 anos no mesmo lugar?

Esse é um dos tipos de carreira mais conhecidos que existem, porém parece que está em extinção ou mais difícil de alcançar, pois desde que a tecnologia passou a modificar o comportamento das pessoas e interferir no mercado, diversas empresas deixaram de oferecer tamanha estabilidade e regularidade.

Você tem espírito empreendedor/a, é ligado/a em tecnologia e está envolvido/a com o universo das startups? Saiba que esse é um dos tipos de carreira voltados para o mercado digital, em amplo crescimento e com muitas possibilidades para você crescer e prosperar.

Você busca estabilidade e poucos desafios? Ou muitos desafios, aprendizado, trabalho e um crescimento que depende do seu esforço para fazer uma startup estourar no mercado?

Essas são apenas algumas perguntas que servem de roteiro para o seu autoconhecimento profissional. Em geral, o mercado digital tem vagas para pessoas que são mais criativas e que não estão presas a um “modelo” fixo de plano de carreira.

Outra questão que pode ajudar a direcionar sua busca em relação aos tipos de carreira é saber se você quer atuar no trabalho técnico ou administrativo em uma empresa tradicional ou em uma startup.

Lembre-se que, ao escolher o desafio de uma startup, você pode ter que fazer “de tudo um pouco”, já que essas são empresas que estão em crescimento e possuem times enxutos e departamentos não tão compartimentalizados.

Em suma, o autoconhecimento é indispensável para você saber onde está atualmente e qual caminho pretende seguir, de acordo com os tipos de carreira disponíveis no mercado.

Caso você queira saber mais sobre como desenvolver seu autoconhecimento, te convido a conferir também um conteúdo sobre uma ferramenta chamada Roda da Vida, que leva à melhor compreensão da vida profissional e pessoal. 

Modelo tradicional de carreira linear 

Os/as profissionais percorriam posições seguindo a hierarquia da empresa, crescendo gradativamente até assumirem a liderança, seguindo um plano de carreira que poderia levar anos para ser alcançado e que independia o timing do avanço técnico da pessoa. 

Era o caminho natural para conquistar uma carreira de sucesso.

No entanto, alguns perfis não se encaixavam nessa estrutura, eram “obrigados/as” a assumir posições de liderança, mesmo que não tivessem aptidões para isso, e acabavam não se adequando às novas atribuições e fracassando ou então ficavam estagnados/as e eram demitidos/as por não terem ambição. 

E, na verdade, esse contexto ainda existe em muitas empresas tradicionais. Dentro desse contexto, veio a perspectiva da carreira em Y.

Carreira em Y

Passado algum tempo, as empresas se deram conta de que alguns/algumas colaboradores/as não tinham o perfil necessário para liderar, já que para eles/as, o sucesso não estava relacionado ao cargo de gestão e sim em poder ser reconhecidos/as naquilo em que são bons/boas.

O “Y” é uma metáfora que simboliza a possibilidade de escolher entre a carreira técnica (especialista) e a gerencial (generalista), de acordo com seus interesses e aptidões.

Para se manter na carreira Y, um dos tipos de carreira mais conhecidos no mundo corporativo, segundo a Revista Forbes, são necessárias algumas habilidades, entre elas empatia, liderança, comunicação eficaz, criatividade e resiliência.

Podemos perceber que essas soft skills também são requisitadas por startups e empresas de tecnologia e, neste ponto, houve um encontro de interesses entre as empresas mais tradicionais e antigas e as grandes novidades do mercado.

Por isso, esse conceito de carreira possibilitou as empresas reterem bons/boas funcionários/as, porém, a nova mentalidade dos/as profissionais exigiu que um novo modelo fosse criado. Surgiu, então, a carreira em W.

Carreira em W

Nesse novo modelo de carreira, os/as profissionais podem ser líderes-técnicos/as, ou seja, são referências em sua área de atuação ao mesmo tempo em que apoiam o desenvolvimento dos/as novos/as colaboradores/as. 

Os/as colaboradores/as podem se dedicar no desempenho de suas funções técnicas, administrando sua rotina juntamente com o direcionamento dos/as profissionais sob sua liderança. 

Assim, é disponibilizado um caminho intermediário aos/as profissionais, que podem manter suas atribuições de especialistas, mas também exercendo liderança, possibilitando a presença de líderes técnicos/as nas empresas. 

Nesse modelo, um/a desenvolvedor/a pode ser também um/a CEO, por exemplo.

Surgido em 1980 e adotado sobretudo por empresas de tecnologia, o modelo de carreira em W ficou em desuso por algum tempo em função de algumas dificuldades em sua implementação, especialmente a de garantir que cada uma das 3 pernas do W tenha cargos com a mesma equivalência.

Assim, para que esse modelo de carreira possa ser implementado, as empresas devem investir no desenvolvimento de algumas competências relacionadas à liderança, coaching, tomada de decisão, relacionamentos para que os/as profissionais estejam preparados/as para assumir a posição e trazer bons resultados.

Uma vantagem expressiva que os/as profissionais percebem nesses tipos de carreira é a versatilidade que permite a mudança de áreas, assim, é possível se candidatar a vagas internas e adquirir o conhecimento necessário para desempenhar essas funções. 

Os/as funcionários/as podem aliar todas as suas habilidades e competências para trilhar seu próprio caminho dentro da empresa.

A carreira em W também flexibiliza a trilha dos/as profissionais e oferece novas oportunidades de crescimento e desenvolvimento, permitindo movimentações de modo vertical, horizontal ou transversal, gerando novas oportunidades de desenvolvimento e crescimento para vários tipos de carreira.

Para a empresa, as vantagens são aumentar o nível de satisfação e engajamento de seus/suas colaboradores/as e seu poder de atrair e reter talentos, além de reduzir rotatividade, gerir o conhecimento e destacar-se no mercado. 

É um modelo que é bastante comum em organizações voltadas à engenharia ou tecnologia, mas que pode ser praticado em qualquer setor.

Carreira em T

A carreira em T é um dos tipos de carreiras mais recentes, que apareceu junto com o universo das startups e empresas de tecnologia, e a boa notícia é que está em amplo crescimento, principalmente para marketing digital, designer UX, programadores/as e devs, além de inside sales.

Algumas pessoas conseguem, em suas vidas profissionais, desenvolver dois tipos de carreira: fazer gestão de equipe e obter uma competência técnica relevante.

Sabe aquele/a profissional completo/a? Que você trabalhou e admira por causa do real conhecimento técnico do produto ou serviço, além da habilidade impressionante de liderar a equipe e engajar os/as colaboradores/as?

Estas são algumas características dos/as profissionais que focam em tipos de carreira em T, que são pessoas polivalentes, os unicórnios e ambidestros. O T representa o desenvolvimento bilateral deste/a profissional: gestão e técnico/a.

Trata-se de uma pessoa dinâmica, capaz de coordenar um time que está desenvolvendo um projeto, mas que também aprende rapidamente novas tarefas técnicas.

Um dos grandes exemplos desses tipos de carreira são os Technical Lead. Em geral, a carreira em T não é uma escolha propriamente feita pelo/a profissional, mas pela empresa contratante, já que se trata de um modelo experimental e que está passando por testes em muitas empresas de tecnologia.

O termo T deriva de t-shaped professional, uma pessoa que possui profundo conhecimento técnico, mas também pode ser considerado/a um/a profissional generalista.

Dessa forma, seria uma pessoa com capacidades equilibradas, atuando como generalista que consegue observar a startup como um todo, em um cenário mais amplo, bem como ter capacidade técnica para solucionar um problema específico, como uma deficiência em um código ou realizar uma alteração em uma campanha de marketing digital.

Entre os tipos de carreira, os/as profissionais com carreira em T são bastante completos/as, criativos/as e interessantes, possuem maior capacidade de compreensão da startup e do mercado, conseguem trabalhar em conjunto e têm facilidade para interagir com a equipe.

Atualmente, podemos dizer, com base em declarações de alguns/algumas CEOs de empresas de tecnologia, que os/as profissionais que querem carreiras em T estão sendo muito procurados/as por causa de seu espírito criativo e colaborativo.

Como identificar seu estilo?

E agora, com qual dos tipos de carreira você pretende ficar? Com as carreiras em Y, W ou T? 

Essa escolha pode depender de vários fatores e você pode usar três premissas para se encontrar diante destes 3 tipos de carreira:

  • Segurança e estabilidade;
  • Mais oportunidades no mercado de trabalho;
  • Trabalhar em empresas de tecnologia.

Se você ainda sonha em entrar em uma multinacional e crescer em um dos planos de carreira que ela oferece, passando de trainee ou estagiário/a para o cargo de gerente depois de anos, talvez a carreira em Y seja a mais adequada para você, mas é preciso destacar que este modelo está caindo em desuso!

Assim, você consegue uma oportunidade como um/a profissional técnico/a e, com o passar dos anos, tenta alterar o rumo da sua carreira para um setor administrativo. 

O problema é que empresas com este perfil de carreira estão com poucas oportunidades para você se posicionar no mercado.

Vamos citar um exemplo, neste caso do/a funcionário/a público/a: é muito difícil conseguir uma vaga como dev em uma universidade pública, os concursos são muito difíceis de passar, geralmente cada edital possui apenas uma vaga. 

Ou seja, a tão sonhada estabilidade e um plano de carreira estático estão deixando de existir.

Vale destacar que, por causa da pandemia e da crise gerada pela queda na arrecadação de tributos, os concursos públicos foram suspensos. As empresas tradicionais estão deixando de operar no Brasil ou enxugando seus quadros. 

Por isso, talvez seja hora de “abrir a mente” e começar a buscar oportunidades e se arriscar um pouco mais, pensar fora da caixa e conhecer um amplo universo de possibilidades profissionais geradas pela tecnologia. 

Leia também: O que o mercado tem a ensinar sobre transição de carreira?

Os outros modelos de carreira e as premissas apresentadas acima estão diretamente ligados à nova dinâmica do mercado de trabalho, principalmente nas empresas de tecnologia e no mercado digital.

Muitas empresas de tecnologia e startups estão com oportunidades para profissionais com capacidade técnica e soft skills. Muitas delas adotam a carreira em T ou em W.

Se você quer mais oportunidades, provavelmente este seja seu caminho.

Não sabe por onde começar? Conheça os cursos da Gama Academy e passe a trabalhar o seu desenvolvimento para trilhar um dos tipos de carreira que estão disponíveis atualmente!

twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram