Qual a diferença de front-end e back-end?

Termos muito utilizados na área de programação, front-end e back-end são dois modelos de desenvolvimento essenciais para os profissionais que buscam atuar nesse mercado. Por isso mesmo, é muito importante saber a diferença entre ambos. 

Para entender melhor quais as distinções entre front-end e back-end é preciso conhecer as particularidades de cada segmento na prática.

Esses termos se diferem nas linguagens, nas abordagens de programação e, principalmente, nas oportunidades de carreira que oferecem.  

O que é desenvolvimento front-end e back-end?

Para identificar quais as diferenças entre front-end e back-end, é importante entender para que eles funcionam e como são utilizados na área de programação. 

Relacionada com as linguagens client-side, a programação front-end se refere ao visual de um site ou app, por exemplo. Ou seja, esse desenvolvedor trabalha com a parte que o usuário interage. 

Ao atuar nessa área, o programador conduz projetos de codificação para interfaces gráficas. Geralmente, a pessoa domina uma das linguagens, HTML, JavaScript e CSS

Associado à linguagem server-end, o termo back-end representa um conceito mais subjetivo. Basicamente, esse desenvolvedor está por trás de todas as aplicações concebidas durante a programação. 

O back-end corresponde às estruturas das ações realizadas pelos usuários. Basicamente, por serem feitas através de um computador, as operações devem ser instruídas, e essas instruções determinam como as aplicações vão funcionar.  

Dessa forma, desenvolver essas orientações, fazer testes e preservá-las ativas são atividades realizadas pelos programadores especializados em back-end. 

Em um site, atrás de toda apresentação estética e visual da página, existe uma comunicação específica entre as informações que são trocadas entre o navegador e o banco de dados. As linguagens de back-end são entendidas pelos servidores. 

Tarefas e ferramentas usadas pelo dev front-end

Envolvido na criação da parte visual de um site ou aplicação, o desenvolvedor front-end utiliza diferentes bibliotecas e frameworks. Além disso, o programador também lida com linguagens de marcação e programação. 

Mesmo que esses profissionais não trabalhem especificamente com back-end, é importante ter noções básicas sobre essa área de programação. Nesse sistema, o código que será produzido terá relação direta com os procedimentos feitos pelo profissional que desenvolve back-end. 

Assim, uma das principais funções do profissional que trabalha com front-end é criar sites que tenham uma apresentação agradável, boa navegação e que se adaptem a diferentes telas. 

Além disso, os sítios eletrônicos também devem se adequar aos principais navegadores, com um carregamento otimizado e integração com o resto do projeto. 

Quanto às ferramentas que o desenvolvedor front-end utiliza, as linguagens são diferentes, mas possuem um ponto em comum: todas são executadas pelo computador. Por isso, elas são conhecidas pelo termo “client-side”. 

A linguagem de marcação HTML (HyperText Markup Language) é uma das principais ferramentas. Ela é usada para gerar toda a estrutura e os componentes visuais da página da Internet. 

Usada frequentemente para estilizar as estruturas que são desenvolvidas pela HTML, a linguagem CSS (Cascading Style Sheets) também é uma das ferramentas populares no front-end.

Ao utilizar esse sistema de códigos, o desenvolvedor consegue trabalhar com elementos do design, determinando qual é o tamanho das fontes, as cores, animações e o alinhamento. 

Por fim, a JavaScript é uma linguagem amplamente conhecida na área de programação. Com grande versatilidade, ela permite que os desenvolvedores consigam gerar animações que são mais complexas em comparação com as criadas pela CSS. 

Tarefas e ferramentas usadas pelo dev back-end

Já quanto ao profissional especializado em back-end, as suas atribuições correspondem às estruturas dos sites, que não ficam visíveis ao usuário. 

Esses desenvolvedores geram suportes robustos para os sites. Além de serem responsáveis pela segurança das informações enviadas pelos usuários, essas arquiteturas também conversam com o banco de dados. 

Nessa área, os profissionais de back-end acabam trabalhando muito com as linguagens Ruby, Java, JavaScript e C#. Entre as ferramentas utilizadas, está a PHP, usada para aplicações de diferentes tamanhos. 

Por exemplo, a linguagem PHP é usada em grandes sites empresariais, como no caso da Wikipedia e do Facebook. 

Os desenvolvedores também são especializados na linguagem C#. Ela é utilizada, principalmente, nos produtos tecnológicos criados pela Microsoft, e é caracterizada por ser robusta, escalável, atualizada e por ter uma documentação muito ampla. 

Comum na área back-end, a linguagem Ruby é multiplataforma e se adequa a diferentes sistemas operacionais. Mesmo que seja nova, essa ferramenta possui uma sintaxe limpa, voltada para objetos e fácil de lidar. 

Outra ferramenta é o Rails, que está relacionado a Ruby. Usado na criação de aplicações e para facilitar o andamento dos projetos, ele possui código aberto e é centrado em soluções rápidas para os problemas mais comuns no desenvolvimento web. 

Diferenças para profissionais full stack

No geral, full stack é o termo usado para profissionais especializados em front-end e back-end. Considerado um diferencial, essas pessoas possuem uma ampla experiência no mercado de programação.

Esse é um profissional mais completo que os demais, por saber lidar com ambas as áreas. Por isso, ele tende a ser mais valorizado pelo mercado, principalmente por ter competências e habilidades referentes aos desenvolvimentos front-end e back-end.

Segundo uma pesquisa feita pela Revelo, o profissional especializado em back-end é tão apreciado pelo mercado de trabalho quanto o especialista full stack. Realizado em 2018, esse levantamento demonstrou que esses profissionais conseguem ofertas salariais mais altas.

Como se especializar em cada área 

A recomendação principal para se tornar um profissional full stack é dominar completamente cada área de arquitetura da tecnologia. Vale lembrar que as áreas front-end e back-end exigem habilidades e requisitos diferentes.

Para trabalhar com back-end, é necessário compreender as linguagens utilizadas para script: como a Java e PHP. Portanto, esse especialista precisa entender todo o projeto para criar aplicações e sites. 

No geral, entender as estruturas dos sistemas e saber como manusear bancos de dados são habilidades exigidas para o profissional back-end. O entendimento de código API em vários idiomas é outro requisito. 

Quanto às competências dos profissionais front-end, é necessário conhecer as linguagens HTML e CSS, que fazem todo o layout e aparência visual do site. O entendimento de JavaScript também é importante, a pessoa precisa saber lidar com formulários interativos, animações e conteúdos dinâmicos. 

No geral, ambas as áreas, front-end e back-end, exigem um perfil que tenha autonomia, organização e que saiba fazer a autogestão.

A capacidade de lidar com a manutenção de programas e implementação de novos sistemas também é outra demanda para o profissional full stack. 

Dicas de bibliotecas de desenvolvimento

Muito utilizadas por programadores, as bibliotecas de desenvolvimento possuem inúmeras funções já prontas. Seguem algumas dicas de bibliotecas para back-end e front-end: 

  • Angular;
  • jQuery;
  • React;
  • Vuejs;
  • Rails;
  • Cake PHP.

Aprenda desenvolvimento com a Gama Academy!

A Gama Academy trabalha com programas de treinamento para formar profissionais capacitados para a área de dev. Preparando talentos para o mercado digital, oferecemos mentorias e cursos de excelência.

Tem interesse em seguir a carreira de dev full stack? Se inscreva no Gama Experience e aprenda tudo o que precisa saber para começar a sua jornada profissional.

twitterfacebooklinkedinyoutube-playinstagram